VALORANT: “É um dos melhores times que nós já jogamos contra”, comenta ScreaM sobre a Vikings

VALORANT: “É um dos melhores times que nós já jogamos contra”, comenta ScreaM sobre a Vikings

De:Pedro Mitke
Conhecido por sua mira afiada no Counter-Strike, Adil “ScreaM” agora também quer fazer história no VALORANT. Aproximadamente um ano após migrar para o FPS da Riot Games, o belga está prestes a competir no primeiro evento internacional presencial do jogo ao lado de seus companheiros da Team Liquid, uma das favoritas para levantar o troféu do Masters Reykjavík.

Em entrevista ao Mais Esports, ScreaM comentou sobre o caminho da Liquid rumo ao presencial na Islândia, a preparação da equipe para o torneio, quem são seus favoritos para levantar o troféu e elogiou muito a Team Vikings, equipe brasileira que participará da competição.

O CAMINHO PARA O MASTERS REYKJAVÍK

Antes mesmo de começar o qualificatório aberto para o Challengers europeu, a Team Liquid realizou uma mudança em seu elenco que é considerada por ScreaM como o momento que iniciou o sucesso recente que a equipe está vivendo. Em fevereiro, Adam “ec1s” foi movido para o banco de reservas e Elias “Jamppi” passou a integrar o quinteto titular da organização. De acordo com o belga, ter um sniper forte no time como o finlandês tem feito muita diferença dentro do servidor.

“Eu acredito que o Jamppi está agregando muito ao nosso time. No CS, ele era um ótimo awper e no VALORANT ele é excelente com a Operator, o que era algo que estava faltando para nós e nos dá a oportunidade de criar e usar outras táticas. Ficou muito mais fácil jogar com um sniper forte, principalmente com ele utilizando a Jett. Ele também ajudou bastante a renovar nossa motivação e trouxe um ar novo para a equipe, o que tem nos ajudado bastante”.

Mesmo com Jamppi na equipe, o caminho para o Masters na Islândia não foi fácil. A Liquid garantiu sua vaga no torneio após terminar em primeiro de seu grupo nas finais do Challengers EMEA – tendo encarado a forte FPX e a surpreendente BBL Esports – e superar a Oxygen nas semifinais. Mesmo já classificada, a equipe de ScreaM teve um verdadeiro duelo de cinco mapas contra a Fnatic pelo título do torneio, onde o belga e seus companheiros venceram por 3 a 2.

“A Fnatic é hoje um dos melhores times do mundo, eles tem um estilo de jogo muito forte e não é fácil encarar eles no servidor. A final do Challengers EMEA foi um jogo extremamente difícil, nós começamos mal a série e não conseguimos encaixar o que queríamos fazer e jogamos muito devagar. A derrota no primeiro mapa fez a gente acordar e passamos a jogar muito melhor por conta da nossa comunicação e da nossa motivação. Nós também estudamos muito o jogo da Fnatic e usamos o que aprendemos da nossa derrota para eles no qualificatório anterior, o que resultou na nossa vitória e no título”, afirmou ScreaM.

Team_Liquid_ScreaM

Fonte: maisesports

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.